Foto do blog: Mario Lamoglia

quinta-feira, 26 de junho de 2008














Ser humano é mesmo um bicho complicado...
Ah, se eu pudesse ter nascido gato!
Ah, se eu pudesse...

Sylvia Araujo

9 comentários:

Anônimo disse...

Para minha felicidade nasceste GATA !!!...rs
A propósito, sobre a tal "complicação humana", é melhor considerar que complicado é querer enxergar o mundo apenas da janela da sua alma o que certamente lhe trará frustrações, posto que ela também é bem complicada...rs !!
Miau..... !

Sylvia Araujo disse...

Por isso, e tantas outras coisitas, é que, se eu pudesse, teria nascido gato!!! ;o)
Miauuuuu

renato disse...

Nascido gato ??? Mulher-gato ??
Não faz muito tempo, o papel de Michelle Pfeiffer elevou o desejo de transformação das mulheres para fantasias, a principal delas como a mascarada sensual e felina do filme homônimo...Acho difícil concorrer com a loiríssima e linda Mulher Gato da Michelle (eu mesmo deixaria ela me arranhar todo, hehe).
Mas sinceramente....eu não desejaria vê-la felis sylvestris catus (nome científico, Código Internacional de Nomenclatura Zoológica): gatos são temperamentais. Podem sofrer de estresse e apresentar comportamento neurótico, além de oferecer hospedagem obrigatória na transmissão da toxoplasmose.
E quanto a mlher gato, na estória original de 1940, é uma bandidinha prostituta de Gothan que se traveste para cometer pequenos delitos, mas tem uma recaída pelo Batman e no final passa a ajudar a Justiça. Tudo muito blarrgh!
Prefiro-te humana como és.

Sylvia Araujo disse...

Não, não... longe de mim competir com a Mulher-gato linda, sensual e loiríssima! rs O que queria é mesmo ser gato. Aquele bichinho peludo, fofinho, com uma rotina pra lá de boa, que não fala, não pensa, não sofre - que seja até propenso à surtos temperamentais e de estresse - mas te afirmo que são muito maiores as doenças da alma (e corpo) humana, que as crises felinas.
Na verdade tudo é fuga. Eu já quis ser urso também. E árvore. Mas passa, ah, passa! Ando me livrando aos poucos das crises de identidade e aprendendo as manhas de ser humana. Tá melhorando...

Ana disse...

Se me permitem a intromissão, me parece que ao desejar ser gato a Sylvia quer justamente se desfazer dessa condiçãozinha besta do ser humano que tem nome para tudo, tem 10 dedos para apontar, tem subjetividade para criar o pior dos mundos sem verificar, no mundo, a relação com o fato imaginado.....
Quanto aos estresses, neuroses, e tudo o mais, atribuído aos gatos, em minha modesta opinião os poetas sabem mais de gato que os cientistas, subjetivadores cheios de dedos, que ao menor contato com os mesmos, antes de entender, espirram.....

"Gato não sofre, existe.

Para o sol, ratos,
militante
das suas unhas.

Crente no seu motor
de ronronar,
em que se embala,
vigilante."

António Osório

É....

Sylvia Araujo disse...

Nada como ter amigos!!!
HÁ HÁ HÁ! ;o)

renato disse...

Ora, meninas, se tudo é fuga penses antes em ser uma barata, pois estes insetos herdarão a Terra após a hecatombe nuclear, eis que seu exoesqueleto é à prova de radiação....
Sim, tudo é fuga, desde que se esteja fugindo. Mas fugindo de que ? Das doenças da alma (e corpo) humanas que são inevitáveis ? Nada foge da 2ª Lei da Termodinâmica, eis porque é preciso, antes de tudo, Amar! Pois é o amor que nos salva e que dá sentido a vida. De que adiantaria ser um bichinho peludo, fofinho e com uma rotina pra lá de boa (não a dos gatos, certamente!) se não há ninguém a nos admirar, lindinhos que somos, nem a nos acarinhar, fofinhos que pretendemos ser ? E de que adiantaria tudo isso se não houvesse um outro igual a nós para que pudéssemos amar, nos enrolar nos membros um do outro e procriar ? Ou se esqueceram que gato entra no cio ?? hein ? Ei, Ana, eu tenho 2 gatos em casa...

Sinceramente, poesia é boa e necessária à vida e à alma, mas parafraseando Pessoa - "navegar é preciso". E navegar é - pasmem, senhoritas! - uma ciência exata.

Ana disse...

Essa modelo aí da foto é a Maria?

Coisa maisi lindia, meu deusi....

Sylvia Araujo disse...

Não, Gira-sol. Maria é a tricolor (de coração rubro-negro!). Essa gostosura aí é a Chihiro.