Foto do blog: Mario Lamoglia

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Ainda bem


Amanheceu verde - musgo fértil em ventre de pássaro brotado em horizonte. Antes de abrirem as janelas, lhe descortinou rebelde um sol redondo pelos olhos negros - os raios quentes lhe atravessando íntimos os poros abertos. Sorriu bem dentro, em céu da boca estrelado e dentes pequerruchos de marfim - as covinhas afoitas se debruçando enamoradas no parapeito das velhas rugas - e lentamente amareleceu. A brisa morna fez dançar de leve as cores vivas no varal, e veio delas em magia um cheiro adocicado e primaveril de campo em flor. Um gosto exuberante de tomilho lhe tomou de assalto a ponta da língua - sabor de lembrança que abraça apertado e não deixa partir. Permitiu então que brotasse em pura nascente uma lágrima bonita - perfeita em sua transparência arredondada - que lhe atravessou solene o rosto estreito, como quem mergulha de corpo inteiro em mar aberto, como quem assopra com toda a força dos pulmões um dente de leão - só pra ver a sua alma voar. Dia pleno, pediu ao marido-encantado que lhe escovasse com energia os brancos fios, pra sentir de olhos fechados mais uma vez o prazer do couro cabeludo se esparramando em cascata pelos lençóis trocados - a maciez de algodão a lhe afagar delicada os ombros cansados. Ao longe, uma melodia suave serenava - flautas transversas e violinos em dueto, conversavam poesia sobre rosas-chá. Falavam emocionados do brilho das estrelas e do coaxar dos sapos, como quem fala de champagne e caviar - ela embevecida, ouvia. Noite alta, pensando - o ar faltando e o amor sobrando no peito murcho - achou um bocado estranho tanta vida lhe assoberbar assim os minutos contados, fazendo toda essa batucada irrefreada no coração exausto. Então, em sussurro abraçado ao último suspiro - mastigando com calma todas as vezes em que pisou descalça a grama e dançou em par na chuva - agradeceu baixinho: ainda bem que em mim tudo sempre foi assim. E voou.

Sylvia Araujo

25 comentários:

Luís Coelho disse...

Bom dia
Mais um texto bonito e cheio de contradições e de personagens impessoais que dançam embevecidos na melodia de um dueto de violinos.

Zélia Guardiano disse...

Texto encantador, Sylvia querida!
Encantador!
Cada palavra milimetricamente planejada, para que nada sobre e nada falte... Tudo na medida mais exata para atingir , em cheio, o alvo da minha emoção.
Grande abraço, minha linda!!!

Rafael Castellar das Neves disse...

Angustiante e excelente!! Muito bom!!

[]s

Valéria Gomes disse...

Muito lindo, Sílvia!!!
Emocionei-me da primeira palavra ao último suspiro.

Beijos!!! :')

RICARDO disse...

Brilhante!!!!"Embevecidamente" suave, sutil...Lindo!

Beijokas

Lisa Alves disse...

Lindo! Nossa nos fins dos meus dias adoraria "voar" assim tão serena e conectada com o que o mundo tem de melhor...

silviogu disse...

Voei nas letras, nas palavras, frases de asas... voei contigo e com o último suspiro do agradecimento... lindo!

Sil.. disse...

Lindoooooo Syl!

Simples assim!

Um abraço meu!

Lini Ribeiro disse...

Morrer assim é saber que o morrer na Terra é o início de uma coisa mais linda, cheia de canto e poesia como seu lindo texto.

A-mei! =)

Bjm

Domingos Barroso disse...

Há quem sonhe
em partir dormindo.
Eu quero partir assim:
encantado.

(e não se parte nunca
desta forma se encanta
ainda bem mais)

Desde o princípio
ao último (último?) voo:
imagens vivíssimas
cheias de tesão.

Tesão mesmo.
Digo: tesão.

Pois só mesmo alguém
com a epiderme da alma
em frêmitos escreveria
com este ardor.
(ardência?)

Belíssimo, belíssimo.

(Agradeço-te pelo
que em mim provocaste)

Beijo carinhoso.

nyle_eternity disse...

Mas que lindo texto!!!
:)
Vim desejar uma boa semana :)
Grande beijo!

Luna Sanchez disse...

Enxerguei a cena do nascimento e do descer da lágrima...que coisa mais linda, mulher! =)

Beijo, beijo.

ℓυηα

Luciana Marinho disse...

um mimo.
sylvia é dada a mimos.



beijinho voador.

meus instantes e momentos disse...

que bonito ler voce.
que bom vir aqui.
Maurizio

Márcio Vandré disse...

É boa a sensação de grama molhada.
Quase flutuam as inocências da alma.
:)

Palavralida disse...

Minha Sia... chorei! Chorei transbordante-mente. Te amo! Obrigada por existir e me emocionar tanto!

Primeira Pessoa disse...

o dente-de-leão é a única flor que voa.
já parou pra pensar nisto?

beijo grande.
e um buquê de dentes-de-leão.

r.

A.S. disse...

Sylvia...

Uma delicia este teu texto!
Ler-te é um puro fascinio...


BeijOOO
AL

aluisio martins disse...

rendo-me e me prendo em cada imagem tecida com palavras de quem sente e sabe o impossível como fosse palpável. Nossa, você embriaga e levita almas...

Jorge Pimenta disse...

sylvia, nada deixado ao acaso, nos teus textos. de uma sensibilidade tocante.
um beijo!

Insana disse...

Encantada.

bjs
Insana

Juan Moravagine Carneiro disse...

Belo texto...

é sempre um prazer lhe receber no Rembrandt

abraço

meus instantes e momentos disse...

voltando para te desejar um final de semana feliz.
Maurizio

Assis Freitas disse...

baile em serenidade, encantamentos de avoar,

abraço

Jane disse...

Lindo, Sylvia. Tudo lindo. Cabelos, lembranças, grama, covinhas, marido, voo... Tudo lindo.