Foto do blog: Mario Lamoglia

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Mergulho *

Caminham enlaçados pelas ruas sem destino, cantarolando a mesma música, às seis da manhã. Depois de uma noite inteira cheirando à sonho, mastigam pastéis de feira como se fosse rotina dividirem o mesmo tom. É como se o ontem virasse outra história, e as páginas começassem a ser preenchidas a partir do primeiro sorriso de cúmplices que trocaram, assim que o sol nasceu.
Se olham no fundo da alma, como quem identifica - como quem certifica - que não existe outro lugar pra se estar, além de ali, sentindo tudo aquilo.
Sem trocar uma palavra, se atiram. Juntos. De cabeça.

Sylvia Araujo



* Texto do início de 2009, republicado.

31 comentários:

Luís Coelho disse...

Um pequeno texto poético e muito próprio de tantas noitadas.
Os sorrisos cúmplices e a certeza de novas aventuras em cada momento.
Entendi assim. Será...?

Andrea de Godoy Neto disse...

e quando não há outro lugar para estar, que resta a fazer, né?
E se for pra mergulhar, que seja de cabeça!

beijocas

AC disse...

E quem não gosta de mergulhar assim, quando "não existe outro lugar pra se estar, além de ali, sentindo tudo aquilo."?

Beijo

Fabio Rocha disse...

Ah, o pastel, essa invenção dos deuses! Vão-se os amores, ficam os pastéis... Beijos

Sabiana disse...

Melhor sensação não há... do que a certeza de estar onde se quer estar.

bju queridona!

Luna Sanchez disse...

É aquele instante entre a quase dúvida e a certeza plena, aquele ponto exato.

=)

Beijo, beijo.

ℓυηα

Valéria Gomes disse...

Delícia de leitura, com pastel então, fica ainda mais delicioso!!!

Beijo grande!!!

Sonhadora disse...

Minha querida
Lindo poema, adorei-

Beijinhos
Sonhadora

Mary Pereira disse...

noites que cheiram a sonho...
que delícia isso, Sylvia.

E que delícia de texto.

Parabéns!

Beijo

Priscila Rôde disse...

Noite com cheiro bom. Sonhos,futuros..

Lindo!

jjpapel disse...

Sylvia
Fazia um tempo que eu não aparecia por aqui...que bom que ao que tudo indica o teu computador está de volta.
E que bonitas as tuas palavras...além da beleza em ver poesia no dia a dia, no sorriso de outra pessoa e não se limitar a viver uma meia experiência, se atirando de cabeça.
Estou te seguindo.
Abraço.

mario disse...

Acho que estão comendo pastel até hoje. Acho que esse pastel não acaba. Acho que esse pastel te ama.

Maria Fernanda Probst disse...

É isso Syl! É isso que falta: o se jogar de cabeça.

---
Lindo e suave, como sempre.
Beijo

Pérola disse...

Texto pequeno e carregado de sentimentos,parabéns.
Feliz dia do amigo.
Beijokas.

Tâmara disse...

A doce delicia da entrega...

Lindo demais..

beijos de fã.

Tâmara

RICARDO disse...

Texto com aroma de ressaca. Na alma da madrugada um talentoso mergulho..
Muito bom Sylvia!(pra variar-rs)
Beijo!
Ricardo

Luciana Marinho disse...

e "ali" é tão profundo, vasto... beijo, querida!

Jorge Pimenta disse...

é justamente essa coragem de agarrar as coisas simples, mas essenciais, que tantas vezes nos assobiam ao ouvido, mas que fingimos não saber escutar, que me falta, sylvia.
belo texto! tocou-me sobremaneira!
um beijinho!

Patricia Garbuio Bittencourt disse...

Adorável texto.bjssss

Paulo Rogério disse...

Fonte luminosa!

Noe* disse...

E eu sempre aprecio seus textos!
Parabéns. Obrigada por passar lá no Costurando!
Sua presença iluminou ^^
Um beijo =*

Mara faturi disse...

QUE BELO VOO MOÇA!
Fico aqui flutuando, flanando página e encantamento...
Bjo;)

Rafael Castellar das Neves disse...

Foi bom republicá-lo...mostra coisas boas que ficam escondidas nos nossos blogs...gostei!

[]s

Bruno Tadeu disse...

Entre a noite e o nascer do sol um mergulho tão profundo onde deixa-se a ofegar, falta ar diante de tanta intensidade. Cumplicidade onde todos vêem, mas só dois podem entender, sentir, ali, a simplicidade e a exclusividade do momento, instante extremo de prazer.

Em cada palavra um novo encanto. Adorei. Beijo!

Tatá R. da S. disse...

Maravilhoso.
E essa é uma das melhores sensações do mundo.
=**

Patrícia Gonçalves disse...

Lindo mergulho moça, desses que no caminho nos dão asas pra voar alto.

beijo grande

Anônimo disse...

"Pra puta que pariu"

De facto, depois de ler o texto que abaixo de encontra sob este título apetece mandar a autora para lá.
Destas, já temos nós que chegue...!!!

Sandra Botelho

leila saads disse...

Parece eu e meu bem nesses dias que terminam de manhã. Sensação boa essa...=]

Um beijo!

leila saads disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Juan Moravagine Carneiro disse...

Como mergulhar em um abismo de novas possibilidades...

abraço e agradecido pelas palavras no Rembrandt

Ivan Bueno disse...

Sylvia,
Este lugar, este ali, dentro da narrativa (e na vida) é um lugar que fica, na verdade, dentro da gente. E a sensação é impagável.
Beijo grande,

Ivan Bueno
blog: Empirismo Vernacular
www.eng-ivanbueno.blogspot.com