Foto do blog: Mario Lamoglia

domingo, 4 de julho de 2010

Um tango na noite



regar o plexo com silêncio
soltar as feras da vontade
se à sede cedem
pois querer é grito
é berro incontível
é ponte é precipício
do abismo para o nada


Fabio Rocha e Sylvia Araujo




Nota: Poema a quatro mãos, em uma noite sem estrelas no coração, fez nascer a lua em grito. Pra quem ainda não conhece as belezuras que o Fabio sopra, vai lá no Da Busca e se encontre! 

27 comentários:

Luís Coelho disse...

Existem muitas formas de dançar o tango. Esta é realmente nova e sedutoramente bem conseguida.

Valéria Gomes disse...

É neste cantinho que se pode encontrar as grandes jóias!!! Um verdadeiro tesouro para quem admira o saber.

Beijos de contentamento!!!

« Katyuscia Carvalho » disse...

Um "par" assim,
só podia dar nessa coreografia mesmo!

[Sylvia, a prova de que quando faltam estrelas e sobra o nada, os poetas também dão grandes saltos na noite - e dançam.]

Adorei.

O Fábio, já acompanho há alguns blues.
;)
.
.
.
Beijo em dueto.

Fabio Rocha disse...

Ah, vida boa... Vida cheia de vida... Beijos, querida

Tania regina Contreiras disse...

Parceria boa essa, a olhar pelo resultado!
Abraços,
Tânia

Humanos Hedonistas disse...

È como eu dugo; De quatro é bem melhor...rs

beijos

Tâmara
@intimidade

Zélia Guardiano disse...

Linda parceria!
Belíssimo resultado!
Parabéns aos dois!
Abraços

Moni. disse...

Mãos mais que certeiras, numa noite aparentemente sem sentidos...

Beijos a vocês!

Fabrício Brandão disse...

Bastante acertado o duo poético! Os signos sensíveis falam alto.

Beijos, Sylvia!

AC disse...

Uau, neste poema bebe-se a essência do tango, qual grito sentido pela noite fora!
Muito bom!

Beijo

Andrea de Godoy Neto disse...

Linda dança de vocês! Tango perfeito!!

beijocas

Daniel disse...

Balíssimo tango! Tem texto novo no Sub Mundos. Bjus.

http://submundosemmim.blogspot.com

oquemeinferniza disse...

Lindo poema numa noite sem estrelas no coração a escuridão é melhor para as feras da vontade se libertarem num grito de querer.

ONG ALERTA disse...

Tango é sedução, paz.
Beijo Lisette.

Priscila Rôde disse...

Sim, lá é maravilhoso!
Adorei, adorei a parceria.


Um beijo, outro beijo.

Paulo Rogério disse...

Resultaram versos estupendos...
(ps.: qto. ao template, o céu acabou virando mar...)
bjo!

b disse...

Uma dança sob os sentidos todos, como os que são vividos e vívidos ao rítmo do tango.
Bandonions como foles fossem_a criar redes invisíveis no abismo.

Lucão disse...

que belezura!
:)
cadente e lindo!

Bruna Mitrano disse...

silêncio, vontade e berro; gosto dessas. Belo poema. Aliás, belo blog.

Luna Sanchez disse...

Doído, né? =\

Beijo, flor!

ℓυηα

A.S. disse...

Vem! Dá-me tua mão!
Leva-me a voar
neste tango envolvente.
Deixa-me sonhar
com outros compassos.
Preso nos teus braços
eu quero dançar
um tango diferente.


BeijO
AL

Arnoldo Pimentel disse...

Que linda poesia Sylvia, parabéns, tudo de bom pra você.

Erica Ferro disse...

É preciso se jogar ao abismo para se sentir vivo.

;*

Carol Freitas disse...

Muito mais envolvente que qq outro tango por aí!

Delícia de ler!

Beijo!

Mary Pereira disse...

E, como são belos os passos de suas palavras a dançarem nesse salão.

Sempre um bom encontro passar por aqui.

Um beijo.

Mary Pereira disse...

Ah, querida Sylvia. Tão belo seu comentário lá no fotografandopensamentos, e nem consegui aceitá-lo. Houve um erro de sistema com o blogger. Se puderes, envia novamente?

Um beijo!

Marcelo Novaes disse...

Sylvia,




Duo bem executado. Tango, de fato. Fio de náilon sobre o Cânion.





Um beijo.