Foto do blog: Mario Lamoglia

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Cicatriz

Cicatriz pulsa-lateja.
Ferida aberta, escancarada
Por trás da pele fina de sorriso.
Tô cansada de doer.
Tô exausta de tanta guerra
Travada por paz;
Exaurida de fortaleza.
Eu estou ruínas,
Vou por um triz...

Cicatriz sangra-escorre.
Dolorido viver no salto,
Cabeça erguida, coração aberto.
Tô cansada de morrer e reviver
- Sem respirar, espairecer.
Eu quero férias
Pra chorar na sala!
Estou um caco,
Vou meretriz...

Sylvia Araujo

2 comentários:

Marcio JC disse...

Deixe a cicatriz cicatrizar...

Sylvia Araujo disse...

Ah, mas ela cicatriza... nem que tenha que ser na marra! ;o)