Foto do blog: Mario Lamoglia

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Flor *



O sol está brilhando lá fora. E ela não tira da cabeça o dia em que viu aquela flor. Jamais sentiu tamanha doçura no coração. Mas não é a flor, é ela. As cores se misturando e o cheiro adocicado, apenas despertaram em si o sentimento de ser. A flor é. Delicada, perfumada e com traços só seus, não saem da cabeça de quem se deixa tocar pela profundeza, da simplicidade e da pureza que carrega consigo. E ela se deixou tocar, acariciar, deliciar. Viu - e sentiu - o poder da vida em sua simples carapaça de vida.

O mundo está correndo lá fora. E ela não tira da cabeça a flor que um dia viu, esparramada sobre o muro cinza - rachado, imundo. Estava lá, resplandecente - deslumbrante em sua importância de flor. Viu - e sentiu - o sopro de amor que vinha, e se deixou acalentar, alimentar, sorrir. Guardou pra si a amplidão do que viveu, naquele mínimo instante em que se deixou tomar pelo belo.

A partir daí, tornou-se a mais linda delas. Desencantou e se encantou com as sensações que o viver nos traz. Não é mais ela e sim flor, com todo seu encanto e ardor.

Sylvia Araujo

* Republicação



Queridos,
Mais uma vez peço mil desculpas pela ausência aqui, e nos jardins de vocês. Estou num momento conturbado, muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo, e não posso desperdiçar as oportunidades. Quando não estou isolada nas minhas páginas em branco, apareço pelo facebook, pra rir um pouco e me distrair. Por enquanto, beijo vocês por lá. Em breve volto à ativa. Continuem torcendo por mim!
Beijoca enorme

22 comentários:

Andrea de Godoy Neto disse...

tão bom quando podemos florir...

Sylvia, torço muito! Que venham ainda muitas coisas boas pra ti

beijocas

Luís Coelho disse...

Essa flor se chama vida e encanta quem a conseguiu ver e sentir no seu perfume e nas quedas.

Ilaine disse...

A flor... a euforia do despertar. Um texto recheado de sensações. Belo!

Penso em você! Beijo

AC disse...

O texto é, em si, uma delicada e doce flor.

Beijo e tudo de bom para si.

Sonhadora disse...

Minha querida
lindo teu texto leva como uma brisa, adorei.

Guardou pra si a amplidão do que viveu, naquele mínimo instante em que se deixou tomar pelo belo.

Por vezes a vida vale apenas por um instante intenso.

Beijinhos
Sonhadora

Pineapple crowned disse...

Linda não é a flor, é vc que consegue encherga-la entre ruinas e tempos difíceis.
Espero que essa flor te traga belos frutos.Floreça sempre!
Obrigadopor dividir sua essÊncia e perfume com os seus leitores-abelhas.

abraço de um abelhudo.

Valéria Gomes disse...

Que possamos florecer sempre!!! Sem essa imagem o mundo fica mais desbotado.

Beijos, linda!!!

Luciana Marinho disse...

sylvia é guardiã da primavera!

beijoca!

Tania regina Contreiras disse...

Na torcida e na leitura, desejando tempos mais floridos...
Beijos

Beta disse...

o belo é sempre uma amplidão, um relâmpago, um mínimo instante eterno. por isso, sempre vai florir.

belo texto!

que as boas oportunidades estejam sendo aproveitadas. :)

Beijos,

Lara Amaral disse...

Flor bela, é claro que torcemos por vc. Tbm não vejo a hora de alcançar meu caminho pela escrita de forma que possa me dar mais frutos, isso é essencial para quem tem alma de artista e só se realiza nisso, sei como é.

Continue republicando, adoro ler-te, principalmente porque não conheço seus textos antigos.

Beijos!

Jorge Pimenta disse...

recordas-me, com este post, do diálogo entre o principezinho e a raposa, na obra de saint-exupéry. a ideia de nos prendermos a alguém e assim nos tornarmos únicos no seu coração. haverá forma mais poética de desabrochar, de florir?
um beijinho e uma flor!

Insana disse...

Amo o poder do SOL

Bjs
Insana

Barbara disse...

Mínimos jasmins do arbusto jasminzeiro da minha mãe -
Assim ficaram em mim.
Identifiquei-me e o texto é de uma verdade e tanto.!

Taninha Nascimento disse...

Oi, Sylvia! Vim te visitar: estou entrando... rsss.

Que prosa poética bonita e delicada!

"O mundo está correndo lá fora. E ela não tira da cabeça a flor que um dia viu, esparramada sobre o muro cinza - rachado, imundo. Estava lá, resplandecente - deslumbrante em sua importância de flor."

Nada nem mimguém perde a importância ou sua essência por estar neste ou naquele local: "A flor é.". E por ser o que tão genuinamente é, acaba por ser flagrada, capturada e apreciada; misturando aquele olhar sobre ela em olhar de flor e, se dando - como presente - ao olhar.

É o milagre da sensibilidade, da arte, do belo...

Aplausos!

Beijos!

TaliÊe disse...

E essa flor cresce, majestosa, a cada dia, sobre uma peuquena superfície verde ancorada no riso...

Patrícia G. B. disse...

Texto delicado,adorei!
bjsss

Ivan Bueno disse...

Sylvia,
Linda flor, prosa e poesia fluindo como o cheiro que se esparrama quando uma mínima brisa bate.
Beijo grande, moça.

Ivan Bueno
blog: Empirismo Vernacular
www.eng-ivanbueno.blogspot.com

Sonia Pallone disse...

LIndo texto Sylvia!!! Um perfeito sincronismo de letras e imagem!!! Grande beijo.

Úrsula Avner disse...

Oi Sylvia,

sol e flor- uma parceria indiscutivelmente linda e harmônica que ganhou mais expressão em seu adorável texto. Passo a acompanhar suas produções escritas. Grande abraço.

Taynara.Tah disse...

O cheiro, a flor e as cores em uma só pessoa. *-*
Alguém na sua mais pura essência e simplicidade.
Seu blog está sempre maravilhoso!
Beijos

Marcelo Novaes disse...

Sylvia,





Há bons contágios!






Um beijo.