Foto do blog: Mario Lamoglia

terça-feira, 10 de agosto de 2010

B(r)aile


Sou
inteira
pedaços
fragmentos
cortantes
sílabas
impronunciáveis.

A lápis
me escrevo
à espera
de quem
me soletre
os relevos

- em braile.


Sylvia Araujo

49 comentários:

Ilaine disse...

Oi, Sylvia! Saudades daqui!

"...à lápis me escrevo à espera de que alguém me soletre.." Lindo demais. Parabéns, escritora! Beijo

Zélia Guardiano disse...

Sylvia!!!
Que coisa mais linda!
Fico, cada vez mais, impressionada com seus escritos!
Grande abraço, querida!

Sil.. disse...

Lindooooooooooooooooo Syl!!

Um abraço grande de bom diaaaaaa!!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Já havia visto no outro blog, mas a impressão é a que fica... é o toque do braile do corpo e da alma que acho.cola.atada às partes... belo, sensível, poético à vera, muito bom mesmo!... ;)

Intimidade disse...

Eu também ando a espera de quem me soletre, mesmo que em grego.

Beijos de fã!

zuleid disse...

O sétimo sentido...advinhar o outro pelo toque! Nada mais poético e sensual. Bom dia!

Tiago Moralles disse...

Te vejo e te toco.
Não necessariamente nessa ordem.

Juliana M. Mesquita disse...

Muito bonito mesmo, palavras precisas. Adorei.
Um beijo pra ti :)

RICARDO disse...

Sylvia

"Ler-te
é relevante,
fragmentadamente
cortante,
silabicamente
instigante.
Em braile
brilhas soletrante."

Relevante e genial!!!
Beijos de fã!

Priscila Rôde disse...

Sou fã das suas palavras!
Perfeito!

Jorge Pimenta disse...

belíssimo, sylvia! para reler... com as pontas dos dedos!
um beijinho!

Renata Luciana disse...

com a ponta dos dedosse desfaz...


Dia lindo p'cê, flor.

Ivan Bueno disse...

Uau!
Gostei muito, especialmente do desfecho.
Beijo grande,

Ivan Bueno
blog: Empirismo Vernacular
www.eng-ivanbueno.blogspot.com

Í.ta** disse...

isso ficou lindo! que imagem que este poema propõe!

beijos!

Junio Peixoto Damaso disse...

Fascinante!!! Magnífico... nunca pensei nesta hipótese... Muito criativo seu texto... parabéns e uma ótima noite!

Tania regina Contreiras disse...

Leitura tátil belíssima, Sylvia!
Abraços,

Valéria Gomes disse...

Lindi demais, Sylvia!!! Tais coisas, somente aqui posso encontrar.

Beijos!!!

Assis Freitas disse...

deciframe-me ou cifra-me faz de mim alfabeto,

beijo

Tatá R. da S. disse...

Que tudoo!! *-*
No words.
=***

Lara Amaral disse...

Suspiro ao te ler, moça, vc é incrível!

Beijos.

« Katyuscia Carvalho » disse...

Caio por pedaços de palavras; adoro palavras como fragmentos, cacos, seixos...

Saio daqui caidinha!

Beijo.

Sonia Pallone disse...

Lindo querida, que as sementes de poesia plantadas por você, preencha sua estrada de flores e perfumes... Bjo carinhoso.

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

O que eu poderia dizer deste poema?



Nossaaaaaaaa!!!


rs


Beijo meu

Marcio Nicolau disse...

Literalmente tocante o poema!

Sylvia, além disso obrigado pelo comentário no InterTextual. Fico muito feliz com a leitura feita.

Beijo grande.

Vinicius disse...

Sylvia esse realmente é um dos exemplos que te falei que seus poemas e textos tem uma concisão mas ao mesmo tempo tem uma pungência incrível. B(r)aile é uma das melhores coisa que eu lí, ou melhor, que eu tateei, que eu senti . Já disse antes que falar que é fantástico é um grande eufemismo .

Vinicius

Luciana disse...

Gostei do seu blog, visitarei mais vezes.
bj

Moni. disse...

O amor é tátil...

Lindo, isso, Sylvia!

saudades, querida!

beijos!

Moni

Márcio Vandré disse...

Ainda tenho vontade de aprender Braile e Libras para poder ajudar mais! :)

aluisio martins disse...

fecho os olhos para te ler
só assim sinto mais...
belo
abs

Jaya Magalhães disse...

Meu Deus do céu, alguém me apaga? Esse tom voluptuoso dos versos finais foram uma verdadeira falta de educação, de tão belos.

Tua poesia tem vida, Sylvinha.

Dois beijos.

J.F. de Souza disse...

sentir
cada nuance
no mais íntimo
contato

até
escorrer
entre meus
dedos

A.S. disse...

Sylvia,

Um poema com caricias na ponta dos dedos...


BeijOOO
AL

Insana disse...

Seja sempre inteira e nunca metade.

bjs
Insana

Ana Paula Pedroso disse...

Lindo Sylvia!!

Domingos Barroso disse...

Os olhos fechados
(nunca cegos)
os dedos te tocando
em braile.
A alma mais límpida.
Desnuda.

Carinhoso beijo.

Juan Moravagine Carneiro disse...

Belíssimo!

☾JessPeace☮ disse...

Muito lindo mesmo.. amei!

Estive lendo os seus textos, gostei muito.
Estou seguindo o seu blogue.
Dê uma olhada no meu, agradecia ;)

Beijo *

Barbara disse...

Braile ; Ponto de Cruz.
1 bordado o seu poema.

Bruno Tadeu disse...

Há coisas na vida em que antes de serem entendidas devem ser sentidas, feito suas “sílabas impronunciáveis”. Escreva e reescreva até encontrar o que deseja, aproveitando que é feita à lápis.
Beijos, adorei!

Rodrigo Passos disse...

lindo, lindo, lindo!!

Cecília disse...

Ai Sylvia.. seus textos são deliciosos.. nem sei o que escrever.. só sinto.
Que prazer de ler!!

Beijo carinhoso!

El Bailaor disse...

Sylvia, que lindeza!! :)

"À lápis
me escrevo
à espera
de quem
me soletre
os relevos

- em braile."

Deixou-me sem palavras!
Bjs!

Daniel disse...

Nós somos a soma dos punhados de rabisco vida vivida a fora... Tem texto novo no Sub Mundos. Bjus.

http://submundosemmim.blogspot.com

oquemeinferniza disse...

Adorei o poema. Lindo.

Boa semana!
Bjos
Líria

Intimidade disse...

Ô coisa linda!

E se ainda eu não te encontrasse pelo tato, certamente te tocaria pelo cheiro!

Um beijo de fã!

Tâmara

A.S. disse...

Sylvia...

Belo poema!


BjO´ss
AL

Andrea de Godoy Neto disse...

esse é lindo, lindo, lindo!!
vontade de reler com a ponta dos dedos

beijos

Flá Perez (BláBlá) disse...

mto bom!!!

Taninha Nascimento disse...

As metáforas foram escolhidas como tintas para uma tela do cotidiano; onde a impessoalidade impera...


O que seria dos sensíveis sem a poesia?

Bravo!!

Bjs!