Foto do blog: Mario Lamoglia

terça-feira, 6 de abril de 2010

Desregulado


Você já me disse que seu coração não mora mais nas entrelinhas - anda meio cansado, desritmado - me lembro bem. Desculpe a falta de conhecimento, meu amigo, mas não tenho mesmo a mínima ideia do que é viver assim; nem se dói, ou quanto. Se é pouco ou além-mar. Sinto muito não poder ajudar. Sabe, o meu coração também muitas vezes me é inútil -  esse músculo frenético, que dispara vez ou outra sem qualquer explicação - mas uma coisa é fato: ele respira fundo os não-ditos. Todos eles, sem distinção. Me alivia bastante não ter que ficar sinalizando a toda hora o que é pra sentir, e o que merece descaso. Ele sabe. E sabe bem, o filho-da-mãe - às vezes até me confunde. Dia desses, por exemplo, andou me brotando sem muita razão. Acredita que anteontem enfiou-me lágrimas nos olhos quando sentiu um abraço de irmãos? Talvez seja hora de ir a um cardiologista averiguar a presteza da bomba, ela deve andar meio entupida, pra vazar assim sem mais nem menos. De qualquer maneira é melhor pulsar desse jeito, meio desregulado, que passar a vida toda empedrado, não é não? Você poderia experimentar um pôr do sol qualquer dia, uma flor na sua inteireza, ou a simples delicadeza de um sorriso de criança. Vai que o danado resolve voltar a bater?

Sylvia Araujo

32 comentários:

Gabriela Maria disse...

Quem sabe esse texto mesmo virva de desfibrilador ao destinatário?! quem sabe o que serviria?!...

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

Que texto! falar mais o quê?

beijokas Sylvia!!

te seguindo aqui e no outro blog sempre! :-)

Marcelo Novaes disse...

Sylvia,


O amigo pulsante está seguindo a boa viagem...





Beijo.

Fouad Talal disse...

Licença pra deixar uns versos de 2 cantadores que eu gosto demais (Pena Branca e Xavantinho). Eles vem da música caipira, que eu aprendi a admirar com meu avô:

"A tua saudade corta
Como aço de navaia

O coração fica aflito
Bate uma, a outra faia

Os óio se enche d'água
Que até a vista se atrapaia"

Beijos árabes-caipiras...

Simples de coração disse...

Belíssimo texto...Falar mais o que? (2) :D

Tem um texto na internet "Rifa-se um coração" que diz ser da Clarice Lispector...Se ainda não o leu, dá uma procurada... :D

Beijos!

Daniel disse...

Lindo texto... Um abraço.

http://submundosemmim.blogspot.com

ErikaH Azzevedo disse...

Que cardiologista que nada, acredita no que te digo, coração saudável pulsa tb além do peito...no olhar, nas pontas dos dedos das mãos e tb nos pés pq não??? A cada emoção que se sente, a cada palavra que se escreve e a cada passo que se dá....

E como já dizia o poeta..."comigo a anatomia ficou louca, sou todo coração..."


um bjo

Erikah

Bia Magalhães disse...

Meu coração tá batendo um tantão por esse texto!!
Acho que eu não conseguiria escrever uma coisa tão Happy assim!!
rsrsrs
Bjus

Pequena Poetiza disse...

ai que lindo e delicioso ter o coração desritmado a sim... danando a bater desenfreadamente.
explodindo em nós.
lindo texto

beijos

Erica Ferro disse...

Cara, meu coração é doido. De verdade.
Coração psicótico, hehe.

Beijo.
Lindo texto.

Priscila Rôde disse...

Ele volta, sem volta a bater! :)
Lindo, lindo Linda! :)

Taynara.Tah disse...

É preciso sentir o amor em cada gesto, em cada detalhe.
Texto maravilhoso.
Sua escrita me lembra um pouco Clarice Lispector.
=D

Eu sempre me surpreendo com a forma sutil que você consegue colocar as pequenas coisas, que quase sempre passam despercebidas, no papel.
Lindo!

Beijos.

Marina Cavalcante Lacerda. disse...

Adorei! Belíssimo! *___*


E muito obrigada pelo comentário. Aquele é um texto que talvez so ela mesma(minha mãe) entenda o que eu falo. Amor de mãe né? Sempre imenso, intenso. Nossa! Mas foram lindas suas palavras, de verdade. :$ Beijos!

Wilson Torres Nanini disse...

Às vezes, é melhor pôr, em lugar de coração, um cata-vento, um helianto... Invés de sangue, febre e relento. Todas as vísceras são perecíveis. E seu texto dá vontade de ler bem devaaaagar, pra não acabar nunca. Abraços!

mais amor, por favor. disse...

Muito melhor ter um coração com uma bomba meio entupida, do que aquela coisa dura e fria como pedra, amo o jeito como tu escreve, não sei bem, mas é como se alguma coisa se abrisse em mim quando eu leio as tuas coisas. Beijos

Lara Amaral disse...

Sutilezas são o que abastecem o coração, depois vêm aquelas mais fortes para movê-lo.

Beijo.

A Moni. disse...

Deixemos o coração bater no ritmo que quiser. A gente sempre aprende a dançar o seu ritmo...

Lindo, Sylvia

beijos!

Dayane Pereira disse...

Antes tê-lo sentindo a dor, sofrimento, sangrando, do que frio, como pedra!

J. disse...

Por isso o ditado: "siga seu coração".

Beijos.

Valéria disse...

Dentro dele é a maior movimentação. É um entra-e-sai que não tem fim e eu tô falando do sangue vai pelas artérias...rs

BeijooO'

L!mOnadah ♥Slemom X♥ disse...

ADOREI AQUI , voce escreve hiper bem^^

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Fantástico.
E tenho dito, o danado tem vida própria!
Lindo.

Abraços

Assis Freitas disse...

o coração é um bicho danado, às vezes mais suptil que qualquer intenção. abraço

sarah disse...

As vezes eu gostaria de ter controle mais do meu coração,
comandar ele sem ter que responder a perguntas muita delas inesperadas..

mas nós somos lindas, pessoas cativantes.

um grande beijo flor!

Sil.. disse...

Lindo texto...lindo, lindooooooo!

Luna Sanchez disse...

Ah, e o meu coração gostou do ritmo desse lugar, viu? ^^

Dois beijos,

ℓυηα

Clarisse disse...

aaah, que liindo! Amei. (oooh, novidade.)

Beeeijo!

Nydia Bonetti disse...

Completamente alheio (será?) às nossas vontades, ele se rebela. Ninguém segura - explode coração!

beijo.

Ilaine disse...

Sylvia! Ah, adorei.
Você é genial. Escritora!
Beijo

Sabiana disse...

Oie, escritora!
Esse texto fez a minha bomba pulsar feliz. Coisa mais linda esse compartilhar de ideia de que a vida é pra ser pulsante!

Bju feliz!

Adroaldo Bauer disse...

Ainda que fútil, quando em vez, um coração assim, repare bem, inútil jamais será se não pára.

Fhernanda Fernandes disse...

Minha Amiga Querida!!!
Como você escreve lindo...
Impossível descrever o impacto que seus textos e poemas me causam.
Talvez porque o que vem do sentir seja, por vezes, intraduzível mesmo...
Suas palavras emocionam... acariam... sacodem...
Eu não dizer como... não sei dimensionar a intensidade...
Só sei que elas me tocam a alma e o coração.
São belas... intensas...
E eu adoro ler tudo o que você escreve.
Você para mim é uma nova Clarice.
Sou sua fã de carteirinha.
Da poeta e da pessoa.
Ambas são raras... sensíveis... especiais...
Tenho fé que em breve seus livros estarão espalhados pelo mundo.
Enquanto isso não acontece, marco ponto nos seus blogs.
Estou seguindo os dois.
Adoro você amiga e é muito viu?
Saudades.
Bjs