Foto do blog: Mario Lamoglia

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Das belezuras de ser

"o que se desenha
a partir daqui?
o quão redondo é o som
de uma porta que se abre?
que cadência e ritmo
tem o cheiro do capim cortado?
o que é velocidade?
ter mãos é para ver;
pés, é para sentir o chão?
ter ouvidos é para saber
do gosto salgado do mar
na concha da mão?
silêncio
de escutamento."


Marcia Cardeal semeia liberta assim aqui.
  

7 comentários:

Almeida Lucius ™/ Ulisses Reis ® disse...

Muito linda, que bela poesia, gosto muito disso que escreveu, fico fascinado com a figura de linguage, beijos !!!

Sylvia Araujo disse...

Oi, Ulisses!
Eu também fiquei encantada. Essa não é minha não. É da incrível Marcia Cardeal. Tem o link logo embaixo da postagem. Depois dá uma visitada lá. Recomendo!

Beijoca

Priscila Rôde disse...

Lindissimo.
Vou visitá - la, sem dúvida!

Guerrilheiro das Palavras disse...

um poema mágico, de um surrealismo que só uma mente calcada nos sentidos, focada na beleza das coisas da vida pode conceber.

Sylvia Araujo disse...

Priiiiiiiii,
Vai lá, vai lá!


A beleza do simples deslumbra, né não?
Beijoca, Guerrilheiro

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

poema para ser lido ao fim de tarde

Sylvia Araujo disse...

Lindo demais esse acalento, né, Ediney?
Obrigada pela visita!
beijo