Foto do blog: Mario Lamoglia

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Fechou os olhos como se o mundo acabasse amanhã. E quando abriu foi tanta vida, mas tanta vida, que fechou de novo com medo de morrer.

Sylvia Araujo

10 comentários:

Priscila Rôde disse...

Seus escritos me arrancam suspiros!
Perfeito Sylvia.

Sylvia Araujo disse...

Olha quem fala... a dona de um coração que grita! ;)

Sou tua fã. Você sabe.

beijocagiga

Sara disse...

Sylvia que belas palavras, produnda-mente...Andei a ler os textos por aqui e tem muita qualidade, ao meu ver, e ao meu sentir...volto mais vezes...

Almeida Lucius ™/ Ulisses Reis ® disse...

Maravilhosaaaaaaaaaaaaa, tudo de bom sempre, adoro ler voce cada palavras me tras muito prazer , beijos!

A.S. disse...

Sylvia...

Por vezes há em nós excesso de infinito!


Beijos
AL

Taynara.Tah disse...

Senti um mundo inteiro em duas frases!
Maravilhoso!

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Sylvia,
Virei aqui até de olhos fechados a partir de agora mas abundantemente abertos para a poesia que aqui habita...

Abraço mineiro,
Pedro Ramúcio.

Sylvia Araujo disse...

Sara, querida...

Seja muitíssimo bem vinda sempre! Fico feliz que minhas palavras tenham chegado a você.E obrigada por fazer as suas chegarem a mim.
Uma beijoca


Ulisses,

Que as palavras nos tragam imensos prazeres, sempre!
Beijo


Albino,

Queria eu só por vezes exceder em infinitos. Às vezes não é tão bom voar tão longe, né? rs
Bom ter suas palavras aqui!


Taynara, querida,
Sinta, sinta, sinta sempre!
Beijogiga


Pedro,
Poetemos, que a vida é vasta! Que honra ter você aqui.
Beijo

Lucão disse...

hehehe
eu ri pq enxerguei toda a história e foi tão bonitinha visualmente.
Ah! seu canto é de babar.
Vc é ótima, srta.
:)
to aqui!

Rodrigo Gonzatto disse...

Grande verso! Se me permite, publicarei-o.