Foto do blog: Mario Lamoglia

quinta-feira, 6 de março de 2008

Novo amor

Quando vejo um novo amor, sinto. E entrego corpo e alma praquele que me vê. Não é qualquer um - nem pode ser - porque muitas vezes me faço sombra, me faço assopro, evaporo.
Mas quando um novo amor me vê, não tenho mais o que esconder. Ele me tem inteira, mil pedaços do meu eu - quebra-cabeça de imensas proporções. E me revelo, escancaro, ensolaro... meu coração é sem mais cadeados, trancas ou afins.
Quando sinto um novo amor, abraço - apertado, demorado - E não largo. Nunca mais.

Sylvia Araujo


Homenagem aos mais novos melhores amigos de todos os tempos (vocês sabem, vêem e sentem quem são!!!)

2 comentários:

Talitha Baldin ♥ disse...

Syl...
Ah, como és especial!
Amei seus escritos... São muito bons amore!
(:
Simples assim: MARAVILHOSOS!!

Parabéns!
Amo-a
by Talitha

Sylvia Araujo disse...

Meu orgulho!!! Estrela mais linda e radiante do meu céu...
Obrigada por estar aqui, por estar cada dia mais linda e cheia de vida!
Amo vc, Tá!