Foto do blog: Mario Lamoglia

domingo, 31 de janeiro de 2010

Pros pés


- Mãe, me empresta o seu chinelo?
- Te empresto as minhas asas. Serve?
Sylvia Araujo

8 comentários:

Costureira de estrelas. disse...

Obrigada pela visita em meu blog =)
Volte sempre!
Adorei o seu, estou seguindo =*

Sylvia Araujo disse...

A-do-rei as suas costuras. Que bom que gostou do meu desalinhave! ;)

Volte!
Beijoca

Guerrilheiro das Palavras disse...

eu seria muito reducionista, a meu ver, se enquadrasse seu poema como "supimpa" ou "cruz credo". É um legado imaterial e indissolúvel as asas do útero que te gerou. Ninguém pode arrancar. Chinelo é acessório, asas são imprescindíveis. obs: tive que ir ao dicionário pra descobrir como se escreve "imprescindível". Voei largado!

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Sylvia,
Fiz pra minha Mãe (todas as Mães) um "DISCURSO" que termina assim:

".................
Peguei minha mãe
Tirei suas asas
Pra desfazer uma santa
Peguei sua mão
Botei na minha
Pra refazer o mundo"

Abraço mineiro,
Pedro Ramúcio.

Sylvia Araujo disse...

Guerrilheiro e Pedro,

As asas são o que nos fazem deixar um pouco de estar com os pés no chão. Seja pra não sujar os pés, ou pra alcançar o além...

Obrigada pelos cheiros. Voltem sempre!

Juliana Gelmini disse...

serve, fico com as asas,sempre! ^^

Juliana Gelmini disse...

e quando vamos voar? \o/ agora!rs

Sylvia Araujo disse...

Para o alto e avante!
Beijoca, flor!