Foto do blog: Mario Lamoglia

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

- fenda, ferida funda -

Armada, armazena tocaias e arapucas. Foge. Esnobe, manda e desmanda. E sangra, e escorre, e grita - estapeia(-se?). Minimiza – máxima - e, tácita, entreolha ácida o que nunca foi. Assim, alheia, desmancha, deteriora -  em-pó-(p)rece. E chora – implora - se faz falta, evapora. Ela ama! Ah! É toda cama - ama como nunca na vida amou! Mas já é ontem quando o sol desiste. E ela sabe. E invalida, inválida. E insiste, arrasta o nunca, empurra, afasta. E se arranha inteira - metade arrancada. Não cabe! Ainda assim, buraco dentro – fenda, ferida funda - nunca cabe o que se ausenta. É um tanto de peito inteiro - é vácuo. É receio, névoa, neve derretida. Ela é partida. Sem linha de chegada, desejo: o suspenso etéreo desejo de um primeiro - e último! - beijo.
Sylvia Araujo

14 comentários:

Be Lins disse...

Uma prosa poema de tirar o fôlego, e se identificar, e admirar.
Supimpa, Sylvia!

Um beijo.


*

O Divã Dellas disse...

As palavras nos jogam de um lado para o outro e o efeito é uma confusão de sentimentos.
ADOREI!
Beijos,
Cinthya
http://odivaadellas.blogspot.com

R.B.Côvo disse...

Gostei do que li. Um abraço.

Í.ta** disse...

ficou com um ritmo muito muito bom!

Lara Amaral disse...

Bom poder te ler, moça!

Beijo.

Sonia Pallone disse...

Te ler é sempre um momento mágico!Você consegue isso quando junta as palavras e solta no coração da gente...Um beijo

Ilaine disse...

Sylvia! Hoje lembrei-me de você e vim vê-la. Encontrei este texto lindo, impregnado de sentimentos: palavras profundas... que tocam. Saudades! Beijo

Cecília disse...

Sylvia.. lindo demais!
vou postar você la no meu cantinho.. um beijo grande!!

Cecília disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sylvia disse...

Lindo!!!!!!!!!!!

A.S. disse...

Vim "ver-te"... e deixar o meu beijo!...


AL

Ana Claudia disse...

Ai...

AC disse...

Fundo é o seu talento.
Parabéns!

Thiago Nuts disse...

Se a seleção jogasse como tu joga bem as palvras, não teriamos perdido nenhuma copa, desde 1994. Mas, só você é a verdadeira "eneacampeã".
Belo post!