Foto do blog: Mario Lamoglia

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Anjos



Anjos existem. E não são feitos de brumas. Nem plumas. Eles tomam antidepressivos e usam alucinógenos. Têm dor de dente e diarréia. Uns são ateus; outros tantos budistas.
Anjos, os meus anjos, sentem fome. Penteiam os cabelos e bebem cerveja no pé sujo da esquina. Caminham sem saber pra onde, e choram às escondidas no banheiro. Há quem diga que um deles insiste em jogar na mega sena, toda santa sexta feira.
Quando se encontram, se reconhecem. Juntos, se recarregam de paz e de alegria. Eles sabem sorrir e adoram uma festa. Alguns fazem terapia, outros pedalam incansavelmente até as paineiras.

Anjos, definitivamente, existem. Eles dão as mãos e se abraçam, como se cada dia fosse o último. Riem das próprias desgraças e sofrem com a dor dos outros. São notívagos, mas adoram o sol.
Os meus tão queridos anjos, sentam no meio fio e transformam a vida em música, transpiram arte. Não sabem quase nada, mas sentem tanto, que nada, nada-nada, escapa. Eles tomam porre. Eu já vi.
Esses são diferentes. São tão diferentes que vão se completando até formarem um só. E desse um só, só o que se pode esperar, é uma onda gigante que te embarca e faz tudo virar amor. Eles transbordam...

Anjos existem. Os meus maravilhosos anjos existem. E por mais que não tenham asas, eles pairam pertinho das nuvens. E com o peito cheio de amor, levantam uns aos outros e sempre seguem adiante. Juntos, eles não desistem. E eu, de mãos dadas com eles, também não.



Às pessoas fundamentais na minha vida, que, cada um a sua maneira, me fazem ser quem eu sou. E me fazem acreditar, dia após dia, que tudo isso sempre há de valer a pena. Que, apesar dos percalços, estou no caminho certo.
Que o amor que vocês irradiam por mim e pela vida retorne a vocês maior e mais brilhante sempre. E que sejamos felizes, todos, sem precisar de muito mais do que o que já temos.
Amo cada um pela importância que tem. E todos, sem exceção, são imprescindíveis em cada passo que dou. Em cada etapa vencida, em cada sucesso.
Obrigada por estarem aqui hoje e sempre, AMIGOS!

Sylvia Araujo

6 comentários:

Leka disse...

Os nossos anjos com certeza se cruzam onde quer que estejam. Os nossos anjos se compreendem e nos tornam sempre mais proximas mesmo q so de alma. Agradeco ao anjo q me enviou voce, minha tao amada amiga!

Caroline disse...

TCHI-TCHI-TCHI!!!! Te lembra algo?? Pra mim lembra o início de uma amizade linda, com uma pessoa que amo de paixão: VOCÊ!!!!
TE AMO MUITO AMIGA LINDA!!!!!

Angelica disse...

Lindona!
Com o amadurecimento, estou concluindo que só os iguais se atraem.. e não os opostos!
Por isso estamos juntas.. e estaremos para sempre!
Beijos

Srta Laís disse...

Meu Deus que lindaaaaa!!!
Sim Anjos existem... e você é o MEU!!

Te amooo, amoooo...

renato disse...

Anjos existem, mas esta é uma declaração de fé, não uma constatação de um fato....
Gabriel Garcia Marques escreve em "Um Senhor Muito Velho Com Umas Asas Enormes" a estória de um anjo que cai do céu e um vilarejo muito cucaracha o aprisiona numa gaiola grande, e então ele fica lá, sendo maltratado por todos até que um belo dia bate as asas enormes e resolve voar de volta aos céus.
Os anjos podem até ser da guarda e nos protegerem e estarem conosco nos momentos em que precisamos de apoio, mas não terá sido sempre assim. Vamos nos lembrar que quando Adão e Eva foram expulsos do Paraíso quem ficou de guarda nos portões foi um querubim (anjo) armado, com uma espada flamejante. Este é o texto bíblico, e a mim me parece uma maneira muito poética de descrever um cometa...
Aí novamente aparece um anjo quando Moisés lança a que seria a última praga contra o Faraó: a morte dos primogênitos. Também não se pode esquecer que o Inferno foi dado a um dos anjos, que decaído dele tomou conta: Lúcifer, o portador da Luz. Aqui entre nós conhecido como Satã...

De certa forma, a aparição dos anjos ficou tão carregada de significados catastróficos que quando o anjo Gabriel vem anunciar a Maria a gravidez de Jesus ele inicia o discurso pedindo a ela para não temer.

Tudo bem, menina, eu acredito também que anjos existem, só que para mim eles não são tão palpáveis....são assim como você, Sylvinha -- um anjinho incrível que pintou neste céu!

Sylvia Araujo disse...

Ai, meu querido primo pé-no-chão...
O que seria de mim sem a realidade que você insiste em me escarrar na cara? Sou muito poeta-avoada, sou muito sentimento nas nuvens. E você - deslumbrante realista - me segura com linha tênue, sem cerol. Não me corta, não me divide; só multiplica história, literatura, sobriedade...
Palpável ou não, você é mais um desses anjos, que cheios de imperfeições fazem da minha vida a mais perfeita que eu poderia esperar.
Obrigada.